Vinho Tinto José de Sousa Mayor

JOSÉ DE SOUSA MAYOR 2014

VINHO TINTO
V.R. ALENTEJANO

Seguindo o que já é tradicional, temos procurado desde 1986 reproduzir o Tinto Velho de 1940 da Casa Agrícola de José de Sousa Rosado Fernandes. Para tal vamos ao pormenor de vindimar das vinhas velhas as castas em separado: Trincadeira, Aragonês e Grand Noir, cujos cachos estão em perfeitas condições de maturação e sanidade, pisadas a pés e fermentar o mosto com películas em potes de barro.

A compra da Casa Agrícola José de Sousa Rosado Fernandes em 1986 veio concretizar um sonho antigo da família Soares Franco: produzir vinho do Alentejo numa propriedade carregada de prestígio (continua mítico o José de Sousa tinto velho de 1940) e de história (produz-se lá vinho pelo menos desde 1878), utilizando métodos tradicionais de vinificação.

A Herdade do Monte da Ribeira, onde se encontra a vinha, está localizada na estrada para Monsaraz e tem uma área de 120 hectares, dos quais 72 são de vinha. Em solos de origem granítica e com excelente exposição aos raios solares, plantaram-se ao longo dos anos, e pelo próprio José de Sousa particularmente no princípio dos anos de 1950, as castas tintas Trincadeira, Aragonês e Grand Noir.

A reconversão da vinha, já da responsabilidade da José Maria da Fonseca, começou a ser feita em 1988 tendo terminado no final da década de 1990. Esta reconversão incluiu a completa separação por castas, às quais se acrescentou a mais-valia técnica de em 20 hectares, os últimos reconvertidos, terem sido definidos talhões de clones dentro do talhão de uma mesma casta. Esta selecção nacional, uma raridade na viticultura alentejana, atingiu duas das três castas plantadas na vinha (Trincadeira e Aragonês).


FICHA TÉCNICA

REGIÃO

ALENTEJO

ÁREA DA VINHA

2,9

GRANÍTICO

PRODUÇÃO

5.200

PRODUÇÃO DE VINHO

ENGARRAFADO

2016

JULHO

CASTAS

60

GRAND NOIR

30

TRINCADEIRA

10

ARAGONÊS

ANÁLISES

14.5

TEOR DE ÁLCOOL

6.0

ACIDEZ TOTAL
(ÁCIDO TARTÁRICO)

3.31

pH

CONSERVAÇÃO

12º

TEMPERATURA

60

HUMIDADE

LONGEVIDADE

10 ANOS

APÓS ENGARRAFAMENTO

NOTAS DE PROVA

COR

Vermelho carregado.

AROMA

Fruta vermelha, folha de tabaco, chocolate preto, madeira suave e integrada.

PALADAR

Frutado, taninos redondos e muito presentes.

FINAL DE PROVA

Longo.

VINIFICAÇÃO

Parte dos cachos são pisados num pequeno lagar, exactamente como nos séculos XVIII e XIX, parte das massas e do mosto são transferidos para talhas de barro e o restante para lagares de maior dimensão, onde fermenta a 26ºC, durante 10 dias, fazendo nas talhas uma maceração pelicular de mais 2 semanas. Após a primeira trasfega o vinho vai envelhecer directamente nos cascos. No final deste estágio, é feito o lote final que é depois transferido para Azeitão, onde é engarrafado, sem ser filtrado e estabilizado.

ENVELHECIMENTO

Cascos de madeira nova de carvalho francês por um período de 9 meses. Foi engarrafado sem ser filtrado.

MODO DE SERVIR

Deve ser servido a uma temperatura de 14/16ºC, depois de decantado, acompanhando caça e queijo.
O vinho pode criar depósito com a idade.


content